Friday, October 27, 2017

Aguaceiro, 1987



lado A
voar  (youtube)
fim do verão (youtube)
estou além (youtube)
a barca dos amantes  (youtube)




lado B
aguaceiro  (youtube)
bela adormecida (video)
redondo vocábulo  (youtube)
se o vento chamar por mim
 (youtube)

(só em vinil)

arranjos e produção de António Emiliano

Aguaceiro


Ficha técnica:

António Emiliano, teclados
João Maló, guitarra
Yuri Ferreira, baixo
Manuel Costa Reis, bateria

Emanuel Ramalho, bateria em Estou Além
Carlos Martins, saxofone em Voar e Fim do verão
Rui Veloso, guitarra solo em Aguaceiro
Isabel CampeloJoão Teixeira, coros em Fim do verão e Se o vento chamar por mim
Sara ÁguasFilipa Águas e Joana Leal, coros em Voar

Fotografia, Raul Constâncio
Capa, José Manuel- Avenida Designers
Gravação, assistência de produção e supervisão de corte de acetato de Jorge Barata

Gravado e misturado no AngelStudio2, em junho e julho de 1987

Arranjos e Produção de António Emiliano para a CBS (Portugal)

Terra Prometida, 1986


                  produzido por Robin Geoffrey Cable e Luís Pedro Fonseca

lado A
tudo bem video
estou contigo video
beco video
tao

lado B
dou-te um doce video
dança comigo
valsa nova
Ulysseia
terra prometida youtube


Friday, September 22, 2017

tributo de David Ferreira à memória de Luís Pedro Fonseca, na rádio pública



Luís Pedro Festa Teixeira da Fonseca
1950 - 2014
«O verdadeiro serviço público é aqui realizado por David Ferreira, que recorda, de forma sucinta, mas completa, o essencial do percurso e do génio criativo de Luis Pedro Fonseca. Estes 3 espaços foram transmitidos na Antena 1 e eram destaques como este que seria justo ter existido em toda a comunicação social portuguesa quando Luís Pedro Fonseca faleceu. Plexus, Chinchilas, Salada de Frutas e Banda Atlântida foram alguns dos grupos a que pertenceu. Rão Kyao (Fado Bailado), Carlos Bastos (All that Fado) ou Né Ladeiras (Traz-os-Montes) foram alguns dos nomes que viram discos marcantes a serem por ele produzidos. Porém, foi com Helena Aguas (Lena d'Água) que Luís Pedro Fonseca gravou uma vasta, consistente e fantástica colecção de grandes canções de sucesso. Vale a pena escutar e recordar ou descobrir quem foi um dos principais músicos e compositores portugueses dos últimos 100 anos. Obrigado, David.»

Wednesday, May 31, 2017

estava eu a pensar agora em ti e tu aqui






miminhos de um dragão em janeiro 2005 aqui no blogue

miminhos de um dragão...

Domingo, Janeiro 02, 2005 Tu Aqui Ia para comprar o CD dos Humanos com as músicas de António Variações e, após ouvir um bocadinho, desisti. Não gostei. Quero dizer, detestei. Isto aconteceu já há dias, antes do Natal. Esta tarde estive a ver um programa da SIC Notícias em que se entrevistavam alguns dos protagonistas deste projecto. Achei tanta graça. Eu sei que sou já mais velho do que a maior parte da malta que passa por aqui, mas há coisas que realmente me aborrecem. Primeiro, houve temas ali que não eram inéditos como já li e ouvi dizer. As pessoas não têm memória ou há coisas que não interessam? Em 1989, a Lena d'Água editou um Album, ainda em vinil (lembram-se do vinil???), com 5 temas inéditos do António Variações e o tema "Estou Além". Nessas interpretações, essas sim, é que se podia respirar o António Variações. Agora nisto? Mas onde é que a vocalista dos Clã tem voz para estas músicas? Até mesmo o David Fonseca consegue cantar mal os temas, parece que as canções não são para ele. É verdade que eu nunca gostei dos Clã, mas gosto muito do David Fonseca. Nunca pensei que poderia não gostar de alguma coisa cantada por ele. E depois irrita-me que as pessoas que dão as entrevistas tenham a memória tão curta e falem das coisas como se tivessem descoberto a pólvora quando esta já foi descoberta há tanto tempo. Se quiserem ouvir verdadeiros temas com o espírito do António Variações, procurem o CD "Tu Aqui" que por acaso encontrei há pouco tempo em formato CD num pack baratíssimo e deliciem-se!... (este post não foi para engraxar ninguém...)

Friday, February 17, 2017

Wednesday, December 07, 2016

Qual é coisa qual é ela? - O álbum das adivinhas - 1978/1979



as músicas:

a escola

a aldeia
o fotógrafo
a fábrica
o mar
o comboio
a caixeira
o pastor
o circo
o pescador
o sol
o pedreiro




align=
“Morno, frio, quente, a escaldar... é uma adivinha, muitas adivinhas, para adivinhar...” Foi assim que nasceu este disco. Trabalho de brincar. Criança que não deixei, não deixámos de ser, olhos abertos para o que se passa em volta, atentos. Porque fomos três na equipa inicial: o Luís Pedro, o Zé da Ponte e eu. Muitos mais depois. A Lena Águas, os meninos que com ela brincaram de cantar, o Carlos, o Rui, o Francisco, a Ana, o João, a Betinha, a Micá e todos osa outros que trabalharam para que as Adivinhas fossem disco, este disco. “Tens que escrever umas palavras”, disseram-me. Palavras? Não. Vou antes escrever: pescador, caixeira, mar, sol, pedreiro, fotógrafo, fábrica, comboio, pastor, aldeia, circo, escola. Pensando no trabalho de cada um, parando um pouco para olhar o sol e o mar, participando, afinal, na vida de todas as pessoas e de todos os dias, surgiram as soluções para as adivinhas, tão fáceis de adivinhar. Dirão alguns que não é um disco infantil. Porque não foi ao Jardim da Celeste, não andou de mão dada com As pombinhas da Catrina nem namorou a Rosinha do meio... é verdade que às Pombinhas da Catrina preferimos o maro sol, e o retrato do José, de fatiota nova. Que trocámos o Jardim da Celeste pelo circo, pela aldeia, pela escola, pela fábrica. Que pusemos de lado a Rosinha do meio para cantarmos o pescador, o pedreiro, a caixeira, o pastor. O Luís Pedro, o Zé da Ponte, e eu com eles, entendemos assim o nosso – vosso disco infantil. E ficaremos felizes se todos, crianças e adultos, cantarem connosco “a batida bem certinha do coração do operário”, ou o arco-íris que faz o sol quando pelas nuvens se mete ( e só cores são sete!) ou a vida da caixeira que “dobra, desdobra, busca e rebusca, conta e reconta e torna a contar”.
Qual é coisa, qual é ela?” é o disco infantil que todos “vivemos” dia a dia.
 Maria João Duarte 1978