Thursday, July 21, 2016

Lusitânia, 1984 (só em vinil)


 produzido por Robin Geoffrey Cable

lado A

ajinomoto (youtube)
sempre que o amor me quiser (youtube)
eu tenho um sonho youtube)
perto de nós (youtube)
quando vem do amor youtube)
trabalhar pra ganhar a vida(youtube)


lado B

olimpo (youtube)
é ao mar que eu pertenço (youtube)
proibido (youtube)
foi Ele
Lusitânia (youtube










31 comments:

antitripa said...

Bem...lena, quando abri o teu blogg até me arrepiei. É estranho recordar a minha infância adormecida...é uma sensação de ter crescido sem notar, de ter amadurecido muito rápidamente...só agora reparei que tenho 30 anos...bjinho

Pedro said...

antitripa: não foste a única pessoa k se arrepiou! loL
Musicas NOVAS!!!
De 84...não conhecia.
Já tenho companhia para hoje.
Obrigado Lena d'Água.
P.S. queria muito ir ao concerto, mas é um mês tão xato. mas vou fazer tudo por ir! beijos

techno25000 said...

A capa deste disco é linda :)))

Quem desenhou?

Quando comprei este disco esgotei o stock da loja, era o ultimo exemplar. Estava la guardado :)
Tem uma das tuas musicas mais bonitas "É ao mar que pertenço".

Bem que a VC podia reeditar estes discos em edições especiais com extras, a comemorar os 20 anos do lançamento.

Bjs

lena said...

design e fotografia do josé carlos nascimento e as ilustrações da cristina alves pereira

ainda me falta completar a ficha técnica, mas hoje vou ao hot ver uns amigos tocar =;)


até eu me arrepio, e ainda só aqui tenho uma pequena parte do meu arquivo fotográfico

ah, vai haver novidades em mp3 brevemente! o meu primeiro disco, que está ali no linque ao lado (eu sentadita num banco de pedra no palácio de queluz, em 78... ;D

e o meu primeiro para crianças, que está logo abaixo mas que não tenho ainda digitalizado (outro que está esgotado desde logo a seguir a ter saído, para nunca ser reeditado...
vão ficar disponíveis aqui, prenda de natal para os pucaninos! eehhhhhhh!!! =:D

AmigaTeatro said...

Os pucaninos agradecem e a Sara, aqui, também xDD

;)**

Anonymous said...

Olá Lena
Essa dos mp3s é boa! Como não faço parte do círculo interno não tenho outra maneira de ouvir as tuas músicas. Por favor, põe também o mp3 do "trabalhar para ganhar a vida" que eu sou pucanino e cantava tanto esta música...
C.Marley

Anonymous said...

20 de dezembro, terça feira de Natal, volto ao Hot Clube !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
um beijo GRANDE linda Lena!

I said...

ops...a anonima do andar de cima , sou eu....esqueci-me do BI mas o porteiro deixou-me entrar pis ja me conhece

lena said...

:D***


e eu estive a fazer serão!
bom fim de semana!
=;)*********************



e cuidadinho na estrada que tá de chuva!*

perola&granito said...

oooO
(....).... Oooo....
.\\..(.....(.....)...
..\\_)..... )../....
.......... (_/.....CAMINHANDO!!!

oooO
(....).... Oooo....
.\\..(.....(.....)...
..\\_)..... )../....
.......... (_/.....ESTA QUASE...


oooO
(....).... Oooo....
.\\..(.....(.....)...
..\\_)..... )../....
.......... (_/.....CAMINHANDO...


oooO
(....).... Oooo....
.\\..(.....(.....)...
..\\_)..... )../.... UFA...
.......... (_/..... CHEGUEI...

-------\\\\\\\\|////--------
------( @@)------- Só passei para dar uma olhadinha
---ooO--(_)--Ooo-- e dizer um

______0000000000___0000000000000____
____0000000000000__0000000000000____
___000000___000000____0000000_______
___000000___000000____0000000_______
___000000___000000____0000000_______
___000000___000000____0000000_______
___000000___000000____0000000_______
___000000___000000____0000000_______
_____00000000000___0000000000000____

passa lá no nosso também...
beijocas natalicias

folha solta said...

... não pude deixar de sorrir e até ficar bem disposto com a piada e a coincidência quando cheguei aqui pra ver se havia novidades e leio esta tua última frase ..." e cuidadinho na estrada que tá de chuva !* " ...

podias era ter avisado um bocadinho antes ... aliás até avisaste eu é que cheguei um bocadinho tarde ... porque é que eu não vim ver o blog logo de manhã antes de sair de casa !!!!! !!!!!! ...
não é que saí ao fim da manhã pra ir vender o carro antigo que tinha e precisamente ao chegar ao ponto de encontro combinado (umas bombas de gasolina) apanhei uma combinação de folhas de árvore que já quase faziam musgo com folhas secas e a estrada molhada com q.b. de areia e o carro começa a patinar que mais parecia trenó no gelo sobe o passeio e vai bater no poste de meio metro logo ali ... mesmo à frente do cliente qu'era pra ele ver como o carro era bom e resistente !! ...
Logo o mecânico, conhecido de ambos, avaliou o conserto em 350 ou 400 € e lá se foi o cliente a pensar que aquele carro era mesmo resistente! Tinha que ver se comprava outro igual!...

Em 20 anos só tive 3 toques ligeiros em estacionamentos e agora esta ironia do destino pra confirmar que o teu aviso tem muita razão de ser. Quando chove à curvas que parecem manteiga mesmo ...

lena said...

ah, pois há! ;D

azarito, compadre!
lol




11.111 visitas!!! =8)

volto a dizer, cuidado com as curvas que tá de chuva!!!
******:)******

ainda não sei onde vá ver o meu benfica

AmigaTeatro said...

11.120 visitas! É o que dá ter um blog mto à frente, todo xpto e tal LOOL

E agora vou-me deliciar com as músicas que ainda não [conhecia] conheço... =))***

- "É ao mar que eu pertenço"
- "Eu tenho um sonho"
- "Foi Ele"
- "Olimpo"
- "Quando vem do amor"

folha solta said...

até esqueci dizer que também concordo que a capa do Lusitânia é das mais lindas do tempo do vinil, tá sublime ... (as músicas então! ...) ... a propósito parece que o Bob Gruen, que era amigo de infância e fotógrafo pessoal do John Lenon, vai fazer uma exposição e acho que lançar um livro com fotos inéditas do John Lenon. Ouvi a notícia na Tv depois pesquisei na Net e parece que tb. foi ele que fez muitas das capas dos álbuns das bandas mais conhecidas da época (Beatles, Rolling Stones, etc.,etc.)
E há capas de vinil que são autênticas obras d'arte !!

Pedro said...

Boa Tarde...
O "trabalhar pa ganhar a vida" é viciante!!!!

lena said...

sabes que o refrão foi tirado de um comentário da mafalda do quino?

é uma daquelas perguntas da mafalda...
>;)

Pedro said...

a sério?
faz toda a lógica...
muito bem aproveitada.
boa noite pa todos

Anonymous said...

Pois é tb tenho este em vinil claro. Conconrdo com quem diz que a capa é linda mas esquerceram-se de dizer que a Lena tb está muito sensual (é uma das fotos de que mais gosto, penso eu de que). Este disco tb está nas últimas, sem melhoras. trás mais umas músicas se puderes embora haja os que não têm e merecem mais que este que até nem tstá mal de todo no que toca a músicas para ouvir aqui.
Até breve

Tó Vale said...

Houve aqui um engano. Não foi o anonymuks que fez o comentário atrás, fui eu Tó Vale. a seu o que é de seu dono. Não quero que assinem o que eu digo. fica a correcção penso eu de que, pois como a outra esta tb pode sair mal.
Vale

Eduardo F. said...

Olá, Lena.
Comprei este disco há dias. Ainda estou a digeri-lo. Hei-de escrever sobre ele, como fiz para o anterior.

Sim, de facto, tem músicas viciantes. Adoro o som da "Olimpo". É fantástico, esterofónico - é também por isto que prefiro as canções da década de 80 às da de 60 (embora nessa década se tenha criado as melhores canções).

Depois passo por cá, para dar a minha opinião.

Um beijo, de Braga
(sou muito novo e nunca te vi ao vivo... e gostava tanto...)

Eduardo F. said...

Fazem-se muitas críticas àqueles que vão durando e durando, atravessando tempos e soando sempre ao mesmo (esta expressão: "soando sempre ao mesmo", pode até ser interpretada como sendo eu um desses críticos...). Lembro-me dos AC/DC, dos Iron Maiden, dos Ramones... (não quero magoar ninguém, porque quem conhece e gosta de artistas assim, sabe bem que há diferenças ao longo da carreira).

Mas também se criticam aqueles artistas que, atravessando o tempo, vão, quais camaleões, deixando-se tomar pelas modas que vão nascendo e morrendo. E neste particular, lembro-me dos Stones. Vejamos: R&B nos inícios dos anos 60, psicadelismo na inignorável fase, um pouco de disco no fim dos 70 e princípio dos 80... Enfim, estes críticos...

Quanto a mim, não deixo de ser crítico, consoante a disposição que tiver. Mas não posso deixar de dizer que é fantástico haver artistas que mantiveram um certo som, mesmo "cedendo" (não necessariamente em sentido negativo) à moda que ia passando. Acho que nos permite uma melhor leitura histórica, da evolução e dos sinais do tempo, do artista ou do momento musical.

E tudo isto porquê?
Estamos neste caso a falar do ano de 84. O álbum anterior de Lena d'Água (atenção ao seu regresso discográfico, em 23 de Abril, mais de 15 anos depois...) tinha sido lançado dois anos antes, em 82. Mas são dois anos que fazem muita diferença. A evolução da tecnologia e os intrumentos usados traçam uma fronteira. É a continuidade, mas algo mudou. E repercute-se no som que ouvimos.

Lena d'Água, neste disco ainda com a Banda Atlântida, tem uma canção com uma sonoridade que, ao que conheço, não voltou a ter: está aqui, e não está em mais lado algum. A canção até nem é das melhores do disco. Refiro-me à "Olimpo" - que soa quase tecno-pop. O estilo até nem anda muito longe desta fase da sua carreira, mas aqui atinge um ponto não mais repetido. Deixou-se impregnar pela moda. Imaginem um pouco de Jean Michel Jarre com Duran Duran ou não sei...
E, dizia, é nítida a diferença entre este som, e o do Lp precedente, ainda com alguma sonoridade a anos 70.

O disco começa com "Ajinomoto". E, nestas coisas do contexto histórico (porque penso ser a música uma grande janela para ler o mundo), questiono-me sobre o emergência económica e o seu consequente impacto da marca "Japão" na sociedade (através dos produtos de consumo, por exemplo). Por coincidência, um grupo de que também gosto muito (das coisas que cresci a ouvir), também com o seu primeiro álbum em 82, têm, neste mesmo ano, 1984, uma canção alusiva ao Japão. Falo dos Mecano (cuja vocalista, Ana Torroja, tem uma voz igualmente doce e fantástica).
Ora, volto à questão: que terá acontecido para ser um tema - parece-me - recorrente por esta altura?
(No ano de 86, Lena d'Água voltaria à região, com "Tao".)

"Sempre que o Amor me Quiser" é, tão simplesmente, a canção de paixão por excelência de Lena d'Água, e, não dispiciendo, talvez a sua canção mais famosa. Aquele saxofone a meio... costumo dizer que o saxofone é o instrumento dos anos 80 (de Lisboa). Não sei explicar. Mas é mais um exemplo a somar a esta ideia esquisita.

"Eu Tenho um Sonho" demonstra, uma vez mais, a grande capacidade vocal da cantora: sobe e desce na pauta com uma grande segurança. E, repito, tem uma voz espectacular.

"Perto de Nós" é das minhas preferidas. Não conheço a obra de Eugénia Melo e Castro (autora do texto; desconheço se também o é da canção), mas, pelo que sei, há ali qualquer coisa diferente... É mais uma canção de paixão. Esta, confesso, deixa-me um pouco "mole". O sol também me entristece às vezes... E esta é mesmo daquelas "ensolaradas".

"Quando Vem do Amor" penso não ser bem conseguida. Porque as vozes estão muito puxadas, o que não é muito agradável. (Que argumento mais foleiro...). Não obstante, contém um pouco da temática abordada na sua carreira. E, quando conhecer os discos que me faltam, irei preceder a uma espécie de "análise de conteúdo" para concluir sobre quantas vezes surgem palavras-chave como "amor", "ar", "céu", "luz", "terra", "água", "mar"...

"Trabalhar para Ganhar a Vida" tem, refere a mesma no seu blogue, um refrão baseado numa frase da Mafalda (sim, a do Quino). Reza assim:

Trabalhar pra ganhar a vida
Porque é que a vida que se ganha
Tem de gastar-se a trabalhar
Pra ganhar a vida?

(Não me digam que isto não faz pensar...)
A música demora um bocadinho a arrancar, mas no refrão torna-se bastante viciante. Luís Pedro Fonseca, o autor desta e de quase todos textos que Lena cantou, conseguiu uma boa canção, com jogos de palavras na descrição do assunto (Nascemos já com a sina / de cantar o mesmo fado / de dançar este bolero / na pista do ordenado...)

Vira o disco (sim, quando os discos temos que virar, por não os haver noutro formato...) e temos a tal "Olimpo" (no seguimento das canções para argonautas no espaço).

"É ao Mar que eu Pertenço"...

"Proibido" soa já mais à frente na década, o tal som "RTP" que escrevi algures... A letra é um retrato contemporâneo. Até que ponto estará datada?:

Está na moda, é in, claro;
Se não cola é um flop;
Lindo só porque é caro;
Bom só porque está no top.
Novo por não ser velho;
Fresco por não ter calor;
Quem liga muito ao espelho
Julga que se vê melhor

[refrão]
Para provar o sabor do perigo
Faço o que é proibido
Para quebrar um tabu antigo
Faço o que é proibido

Uns gostam de armar cenas
Em romances de cordel,
Outros de carpir penas
Nessa de assinar papel.
Calam-se uns por ter medo
Outros por saber de mais
Quando um barco sai cedo
Deixa sempre alguém no cais

[refrão]

Em "Foi Ele" também tem Lena uma canção cuja estrutura não foi muito comum. Não sei como explicar, mas é corrida, com guitarra, a andar... (desculpem lá esta incapacidade...).

"Lusitânia" é uma instrumental e vocal (são adufes o que ouvimos?) que, sendo mais elaborada, não consegue, quanto a mim, atingir o esplendor de "Ulisseia" (do disco seguinte). Mas vai nesse sentido, de uma certa "portugalidade". Lembra-me esta música que Dulce Pontes, detentora de uma grande voz, porta um pouco dessa "marca" também.

No fim de contas, este disco não é dos melhores da cantora, mas é incontornável na sua tão reduzida obra a solo. Ah, por último, não queria deixar de chamar a atenção para a bonita fotografia da capa.
Entre 3,5 e 4.

*©OsMi©_KeY§*_® said...

Continuo a gostar imenso deste teu trabalho, uma voz única. Guardo grande parte dos teus registos em vinil (claro), aquele que foi a minha primeira aquisição foi o Robot (que saudades), ainda hoje o coloco para a minha filha ouvir um dos maiores sucessos musicais da época. Parabéns e força. O Culto do Vinil

Miguel said...

Olá Lena.
É sempre um prazer revisitar os bons velhos tempos.

Para quando "Liamba", please...

bjs

soares said...

quando é que se a EMI se digna a colocar este álbum obrigatório da Lena D'ÁGUA em CD?
é lamentável que ainda não o tenha feito.

Anonymous said...

Leninha.

Doce.

Este blog é um pedeço de todos os que ouviram música nos anos 80.

Lembro-me de passar as tardes na sala de jantar a brincar com a minha irmã e a ouvir-te a ti e os "outros" (Rui Veloso, Jafumega, Taxi, GNR...) na rádio , enquanto a minha avó passava a ferro e esperávos até que a mira técnica da RTP desse lugar à programação. :D

Que grande música nos ofereceste. O Rock Progressivo era inovador e a tua voz é a sua marca de origem no nosso país.

De todas gosto muito do ritmo da Demagogia, da intensa Perto de ti, mas pricipalmente da icónica Ajinomoto.

Ajinomoto, uma invenção que permitia os meus pais convencer-me a comer sopa :), é um produto que faz parte do meu imaginário. Glutamato de Sódio, lembro-me perfeitamente de ler no frasco. Era o Restaurador Olex da alimentaç
ao :D Que por sua vez foi substituido pelo Kaminomoto (o império niponico!)
O que é que significa Nihongo ga dekimasu ka? Motto yukkuri hanashite kudasai? :DD

Outro ícone da minha infância é o Robot, que foi o meu desejo de Natal para esse ano (lá me ofereceram um, loool, que andava, virava sozinho e tinha luzes vermelhas como olhos)))-)

Leninha, tú foste o verdadeiro Sex-Symbol dos 80's. O clip dos Vígaros é o paradigma da sensualidade. Aquele look Hippie-Naif era delicioso.

Desde um dia sentada num banco em Queluz (a 78 nascia eu, a 15 de Junho))) até ao Hot tem sido uma carreira brilhante. O Jazz é de facto a líbido da sensibilidade musical e a tua voz casa na perfeição com o calor musical (toco Piano - Jazz Fusão).

Parabéns Leninha e Obrigado.

Helena said...

anónimo, francamente!! LOL

grande comentário e nem um nome para agradecer a boa disposição
;DDD

muito bom, vou puxar para cima o lusitânia ;)


lol

Helena said...

a segunda frase quer dizer "por favor fale mais devagar"

a outra agora não me lembro :D

Tiago said...

É verdade, esqueci-me de me identificar (já era buéé da tarde e estava a meio de um torneio de poker). Aqui vai o meu contacto: tiagomdons@hotmail.com

Desculpa a imensidão de erros (!) mas estava cheio de sono |)

Não sabes o significado do refrão da tua música mais original? :)

Então, depois de uma pesquisa no restaurante de sushi (:D), aqui vai:
Nihongo ga dekimasu ka? - Roughly "do you speak Japanese?" it's literaly "do you do japanese" but it's used for speak/understand

nihongo - japanese, ga- particle, dekimasu - polite form of dekiru which is "can do", ka - "spoken question mark"

Motto yukkuri hanashite kudasai - Please speak slowly.

Motto- more, Yukkuri- slowly, hanashite - comand form of speak, kudasai- please

im sure you know the basics ilke ga and ka in sentences but yeah xD

Bjo.

Tiago

Tiago said...

Em jeito de adenda, há um tema que é para mim, de longe, o mais brilhante dessa década em Portugal. Falo de "No Fundo Dos Teus Olhos de Água".

Estava uma dia tarde numa esplanada e de repente veio-me à memória uma frase: "São sete beijos \\ Dos \\ Teus \ Para me conquistAAaar"... Brutal. Esta estrofe faz-me (ou nos) transportar para aquilo que pode designar como verdadeiro sonho musical dos 80's.

Fiz uma pesquisa e encontrei este vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=KaRMtDcpX4k&feature=related.
Leninha. Top:)

É simplesmente indiscritível a riqueza musical deste tema, e a inclusão da flauta é a cereja em cima do bolo.

É caso para dizer, dava tanto jeito ter uma máquina do tempo.

P.S. SLB, 32 :)

Anonymous said...

Boas!
ONde posso encontrar a musica "foi ele"?
ja sofro de tanto procurar e nao encontrar... tenho em vinil mas queria em digfital porque leitor de vinil, foi-se!
Senão era so cabo "jeck-jeck" e entrada de microfone do computador.. com adobe soundbooth ou adobe "nao-me-lembro o nome do novo" ja gravava... =D

Elemento Musical said...

Entrei aqui para dizer apenas uma coisa bem simples. A última faixa desse disco (lusitania) é uma verdadeira obra de arte musical. Penso que a autoria da composição pertence ao Luis Pedro Fonseca. Também sei que esse tema aparece num disco chamado "concert for the sun". Não consigo esse disco em lado algum. Nem por encomenda nem nada. Faço aqui o apelo a alguém que o tenha, que entre em contacto comigo.
lucianojlc@gmail.com
Obrigado