Friday, February 06, 2015

datas Lena d'Agua & Rock'n'Roll Station

5 Março (quinta-feira) - Lisboa no Popular Alvalade 
       6 Março (sexta-feira) - Peniche Online no auditório do Stella Maris.
              7 março (sábado) - Alcobaça no Café Bar Portugal.
                     11 abril (sábado)- Leiria no Beat Club.
Façam o favor de marcar na agenda e divulguem/partilhem!!! Obrigado ;)



Monday, February 02, 2015

Qual é coisa qual é ela? - O álbum das adivinhas - 1978/1979

 “Morno, frio, quente, a escaldar... é uma adivinha, muitas adivinhas, para adivinhar...” Foi assim que nasceu este disco. Trabalho de brincar. Criança que não deixei, não deixámos de ser, olhos abertos para o que se passa em volta, atentos. Porque fomos três na equipa inicial: o Luís Pedro, o Zé da Ponte e eu. Muitos mais depois. A Lena Águas, os meninos que com ela brincaram de cantar, o Carlos, o Rui, o Francisco, a Ana, o João, a Betinha, a Micá e todos osa outros que trabalharam para que as Adivinhas fossem disco, este disco. “Tens que escrever umas palavras”, disseram-me. Palavras? Não. Vou antes escrever: pescador, caixeira, mar, sol, pedreiro, fotógrafo, fábrica, comboio, pastor, aldeia, circo, escola. Pensando no trabalho de cada um, parando um pouco para olhar o sol e o mar, participando, afinal, na vida de todas as pessoas e de todos os dias, surgiram as soluções para as adivinhas, tão fáceis de adivinhar. Dirão alguns que não é um disco infantil. Porque não foi ao Jardim da Celeste, não andou de mão dada com As pombinhas da Catrina nem namorou a Rosinha do meio... é verdade que às Pombinhas da Catrina preferimos o maro sol, e o retrato do José, de fatiota nova. Que trocámos o Jardim da Celeste pelo circo, pela aldeia, pela escola, pela fábrica. Que pusemos de lado a Rosinha do meio para cantarmos o pescador, o pedreiro, a caixeira, o pastor. O Luís Pedro, o Zé da Ponte, e eu com eles, entendemos assim o nosso – vosso disco infantil. E ficaremos felizes se todos, crianças e adultos, cantarem connosco “a batida bem certinha do coração do operário”, ou o arco-íris que faz o sol quando pelas nuvens se mete ( e só cores são sete!) ou a vida da caixeira que “dobra, desdobra, busca e rebusca, conta e reconta e torna a contar”.
Qual é coisa, qual é ela?” é o disco infantil que todos “vivemos” dia a dia.
 Maria João Duarte 1978





as músicas:

a escola

a aldeia
o fotógrafo
a fábrica
o mar
o comboio
a caixeira
o pastor
o circo
o pescador
o sol
o pedreiro



align=



as adivinhas:


a escola
a aldeia
o fotógrafo
a fábrica
o mar
o comboio
a caixeira
o pastor
o circo
o pescador
o sol
o pedreiro





Friday, January 23, 2015

papalagui, o single de 83

«construiu florestas que parecem querer tocar o céu
gigantes de pedra sobre a natureza que abateu
preso num mundo que fez pra si

à velocidade de uma pedra que é lançada ao ar
corre atrás do tempo como se o quisesse agarrar
testa franzida, quase não ri, PAPALAGUI



nas leis do seu jogo e na sua forma de pensar
Deus é o dinheiro, só é salvo quem o adorar
dono do mundo, escravo de si, PAPALAGUI

vive nas florestas que parecem querer tocar o céu
em baús de pedra que o fumo já enegreceu
dono do mundo, escravo de si, PAPALAGUI»

letra e música de Luis Pedro Fonseca

Thursday, January 22, 2015

perto de ti, 1982



letra: lena d'água e luís pedro fonseca; música: carlos fortuna e luís pedro fonseca,
álbum "perto de ti", 1982, realização de João Egreja

dei por mim a dançar na praia
subi à noite com a maré
fui nas ondas da minha saia
fiquei contigo fora de pé
perto de ti é onde eu quero estar

dei comigo a rolar na areia
o corpo nu vesti de luar
na vertigem da lua cheia
segui viagem p'ra te encontrar
perto de ti é onde eu quero estar

tal como um rio sou água a correr
sobre o teu peito, tão fora de mim
na madrugada o incenso a arder
deixa na pele um cheiro a jasmim
fico perdida de amor

perto de ti é onde eu quero estar
ao pé de ti sinto-me flutuar
perto de ti é onde eu quero estar
ao pé de ti sinto-me transbordar

dei por mim a dançar na praia
fui nas ondas da minha saia
perto de ti é onde eu quero estar

Beco (ao vivo com a rock n roll station - 2014)

video

Monday, December 22, 2014

piano e voz na figueira da foz, 2005



mariazinha
redondo vocábulo
lisboa que amanhece
a noite passada
que amor não me engana
nem às paredes confesso
deixa-me rir
aqui dentro de casa
queda do império
demagogia
sempre que o amor me quiser
estou além
dou-te um doce
adeus
...
a barca dos amantes
a culpa é da vontade

Wednesday, December 17, 2014

Aguaceiro, 1987



lado A
voar  (youtube)
fim do verão (youtube)
estou além (youtube)
a barca dos amantes  (youtube)




lado B
aguaceiro  (youtube)
bela adormecida mp3
redondo vocábulo  (youtube)
se o vento chamar por mim  (youtube)

(só em vinil)

arranjos e produção de António Emiliano

Aguaceiro


Ficha técnica:

António Emiliano, teclados
João Maló, guitarra
Yuri Ferreira, baixo
Manuel Costa Reis, bateria

Emanuel Ramalho, bateria em Estou Além
Carlos Martins, saxofone em Voar e Fim do verão
Rui Veloso, guitarra solo em Aguaceiro
Isabel CampeloJoão Teixeira, coros em Fim do verão e Se o vento chamar por mim
Sara ÁguasFilipa Águas e Joana Leal, coros em Voar

Fotografia, Raul Constâncio
Capa, José Manuel- Avenida Designers
Gravação, assistência de produção e supervisão de corte de acetato de Jorge Barata

Gravado e misturado no AngelStudio2, em junho e julho de 1987

Arranjos e Produção de António Emiliano para a CBS (Portugal)

Tuesday, December 02, 2014

Terra Prometida, 1986


~ Terra prometida

Vi despontar a luz no céu
Mais uma estrela que nasceu         para ti
A pouco e pouco a luz subiu
E foi iluminando o rio          para ti
E sempre que ela brilhar                no fundo do teu olhar

Vou desfolhar o meu amor
Ter o perfume de uma flor         para ti
Vou mergulhar no azul do céu
Ser essa estrela que nasceu         para ti
E sempre que ela brilhar           no fundo do teu olhar

Outras luzes, como archotes, vão arder na noite sem luar
Outros corações perdidos
Como arcas de um tesouro vão-se encontrar

Vi despontar a luz no céu
Mais uma estrela que nasceu       para ti
A pouco e pouco a luz subiu
E foi iluminando o rio         para ti
E sempre que ela brilhar           no fundo do teu olhar

Serve de farol ao mundo, que é um velho barco a naufragar
Dá esperança aos marinheiros
Que à Terra Prometida querem chegar


Letra: lena d’água e luís pedro fonseca
Música: luís pedro fonseca
Álbum Lena d’Água, Terra Prometida, 1986

Sunday, November 30, 2014

TAO


"Subo até ao alto da montanha
À procura de um guru
Olham frias as estátuas de Mu
Faço como o monge no Tibete
Que ao frio se senta nu
Olham mudas as estátuas de Mu
Deixo o corpo ao sabor do vento
Como as canas de bambu
Ficam quietas as estátuas de Mu
Lanço um grito no lago do espaço
Faço ondas como tu
Ficam mudas as estátuas de Mu"

Letra e música de Luis Pedro Fonseca
Álbum de 1986 Terra Prometida, Lena d’Água

techno25000 escreveu...
Esta é pra ouvir naquelas horas de preguiça em que nada apetece fazer, só ouvir boa música mesmo :)) E o toque oriental remete para lugares imaginários que há muito se deseja conhecer. É só fechar os olhos e deixar-mo-nos levar no embalo em direcção ao Oriente :)

Maria João Matos
escreveu...

namarië :) **)O(**

TAO
in Terra Prometida, 1986

Thursday, November 13, 2014

perto de ti, os sentidos do amor e o beijo de john malkovich


lena d'água, john malkovich, duas canções e um beijo na boca ao cair do pano no zona+ de carlos cruz em 1994