Friday, February 23, 2007

vinte anos?! safa!! tu és eterno, afonso josé :) franciscano lindo, prof, pai, inspiração da terra, voz de anjo, pedreiro de almas, eu amo-*te*

redondo vocábulo redond
o vocábulo

22 comments:

miss.isaurinha said...

já não me lembrava....e arrepiei-me...contigo...com a tua voz...com as palavras dele...


beijos

lena said...

beijos
:)

CARMO said...

Um homem de alma cheia e palavras de cortar a respiração... a tua voz, um canto de embalar... Fantástico!

SAM said...

Hô pá...até tremo so de pensar em comentar esta imagem, este Homem,como se comenta um génio!

Bom fim de semana a TODOS!

Beijo e Abraço de Amor LIBERTÁRIO!!

Sam ;-)

Gaspar VS said...

“Não é habilidade nenhuma ser compreensível a todos quando se desistiu de todo o exame em profundidade” - KANT

lena said...

gaspar, importas-te de explicar isso em palavras tuas?
:)

Maio said...

Também o evoquei aqui aqui no meu cantinho
Ele vive connosco!

Beijinho
Aurélio Malva "Maio"

Mário José de Castro said...

Sou Músico (Licenciado em música por Coimbra) tenho 45 anos e verdadeiramente te amo.
Desculpa a palavra "forte", mas é o que sinto desde os meus 19 anos.
Aparece mais vezes. Além de fazeres falta, és a "GRANDE" senhora da mísic Portuguesa.
Aceira um beijinho!!!

Mário José de Castro said...

Claro que me refito à Leninha

g2 said...

Esta "coisa" das saudades não é só conversa para os poetas usarem.

A saudade existe mesmo e com surpresas assim, não me importo que saibas que fiquei com os olhos rasos de lágrimas. Por todas as coisas que estão nesta música.

Um beijinho!

Anonymous said...

Alguém sabe quem dedilhou o padrão da harpa?

«...E as vozes embarcam
Num silêncio aflito
E quanto mais se apartam
Mais se ouve o seu grito...»

As canções do andarilho
trovejam-me na alma
como rios, tambores e rodas de amigos
clarins de revolta
e pássaros
sobre a seara

Que vivo que está o nosso Zeca!!!

C.Marley

lena said...

o redondo vocábulo e o que amor não me engana foram gravados no álbum "venham mais cinco", em outubro de 73, Paris, com arranjos e direcção musical de josé mário branco


:)

Verdades said...

Gravaste o que o amor nao me engana?? :))
"E as vozes embargam
Um silencio aflito
Quanto mais se apartam
Mais se ouve o seu grito"

:))

lena said...

num silêncio aflito, sim
gravei

mas não no disco do hot


beijos

AmigaTeatro said...

Aqui nem me atrevo a comentar!

:sarava:

***

AnaG. said...

Que música... que voz... a tua Lena...

Por um acaso cheguei aqui, mas gostei muito de te recordar...

Um beijo

Carlos said...

Quando o meu pai faleceu , ( 27 de Dezembro de 2006 ), e as lágrimas me vieram aos olhos, logo pensei em me justificar dizendo que quando o Zeca Afonso, a Amália e o Carlos Paião (com quem brinquei na infância e adolescência nas praias da ria de Aveiro), faleceram também deixei que as lágrimas corressem, silenciosa mas livremente.
E que se tinha os olhos marejados não era por ser meu pai mas por ter sido um grande homem . ( Sempre me emocionei mais com a grandeza de alma das pessoas do que com os laços familiares. ) À semelhança do Zeca Afonso também estudou num colégio franciscano e ficou sempre franciscano apesar dos cinco filhos e de ter sido um grande embaixador da Literatura Portuguesa, em Portugal e no estrangeiro. (Os amigos até brincavam com ele por causa de apanhar do lixo qualquer coisa que achasse útil e no entanto conviveu com cardeais e acredito que lhes transmitisse o mesmo que S. Francisco disse frontalmente ao papa do seu tempo : “que a ostentação da Igreja é que estava afastando os fiéis “).
O Zeca Afonso sempre o imaginei como um pai de todos nós , o Pai da nossa geração que lhe deve muito mais a ele do que a todos os coronéis de Abril juntos , uma geração que já lhe deu netos que nunca conheceram o avô mas o começam a conhecer agora pela obra que deixou . Acredito que quando se escrever a História deste tempo ele será mesmo o grande herói nacional do séc. XX . O Grande Português ...

Já agora, Lenita, obrigado pela foto (engraçado que sempre te imaginei vestida de negro ou de branco ... ) e pela música , linda, que sem o saberes colocaste no blog no dia 29 de Dezembro de 2006 . Naqueles três dias em que à noite ficava sentado diante do computador, sem sequer sair da protecção de ecrã , vendo passar diante dos olhos o filme de toda a vida passada a uma velocidade vertiginosa, no dia 29 ou 30 lá me decidi a pegar no rato e espreitar o teu blog . Talvez houvesse alguma consolaçãozita . E havia mesmo . A foto e a música .
Obrigado porque ao longo da vida sempre nos foste dando estas grandes consolações , na hora e no momento exacto ... obrigado por seres o nosso Anjo ( anjo = intermediário entre o divino e o humano ) , o Anjo de Portugal ...

Carlos said...

Carlos = folha solta

( o blog disse que não permitia comentários anónimos ...)

lena said...

:*

Luis said...

Olá a todos… era só para dizer que…HÁ MUSICAS QUE SÃO DIAMANTES. Apesar de já terem passado 23 anos, acho que a música “SEMPRE QUE O AMOR ME QUISER” continua a permanecer intacta no tempo. Adoro todas as músicas da Lena D´Água, mas esta é sem dúvida a minha favorita.
Talvez seja pela magia da melodia, a subtileza da letra e a voz colossal da Lena. Esta música é eterna e brilhante como um diamante. Ela está lapidada na minha mente nota por nota, letra por letra e timbre por timbre. Creio que se enraizou na minha alma e se imortalizou no meu ser.

Há realmente músicas que são diamantes…

Luís Miguel B. Silva

Meu Destino said...

Querida amiga,

em primeiro lugar, parabéns! Afinal hoje é o "Dia Internacional da Mulher", aquele dia em que as pessoas mais distraídas e desatentas são obrigadas a reconhecer quanto tempo a humanidade perdeu por ter excluído as mulheres dos foros de decisão social e política.
É claro que muitas mulheres lutaram para que este avanço ocorresse e há célebres exemplos históricos. Mas, neste dia especial, quero referir-me especialmente a ti, em quem reconheço esta fibra capaz de desestruturar padrões anacrónicos com o propósito de estabelecer parâmetros sociais mais justos, e igualdade de condições como trabalhadora e cidadã.
Se todas as mulheres fossem iguais a ti, tenho a certeza de que estas mudanças (que ainda não se completaram) teriam ocorrido de uma maneira muito mais rápida e, hoje, viveríamos num mundo mais justo e equilibrado, onde esta data já não faria sentido, visto que as mulheres devem ser homenageadas todos os dias, com manifestações de respeito, reconhecimento, agradecimento e - por que não? - carinho.
Por vislumbrar em ti o exemplo de uma grande mulher, perceber em ti a "garra" necessária para que possamos, juntos, transformar a nossa sociedade em algo mais justo e belo, é que te escrevo esta carta e te desejo o melhor, não apenas hoje, mas sempre!

Com afectuoso respeito
Helena

sandro said...

Excelente surpresa encontrar o teu blog.
Muito porreiro. Vou passar a visitar. :)

Escutar o Zeca é essencial.