Tuesday, February 06, 2007

o tempo de voltar a Portugal

A primeira vez que cantei canções portuguesas com um trio de jazz* foi no programa apresentado pelo Diogo Infante na RTP, Canções da Nossa Vida, em 1999.
Eu tinha participado no projecto “as Canções do Século”, cujo único disco, gravado ao vivo em novembro de 93 no casino Estoril, nos levou a actuar em inúmeras salas de espectáculos do país até final de 99.
A vontade de regressar a solo -- desligada do que tinham sido os primeiros anos da minha vida enquanto cantora na área do rock e do pop/rock -- deu início à colaboração com músicos da área do jazz na elaboração de um repertório da cantora Billie Holiday, estreado em novembro de 99 na mítica sala do Hot Clube de Portugal e levado à cena -- com a colaboração do agora extinto IPAE –, até meados de 2002.
Foi neste tempo que a minha relação artística com o universo dos músicos de jazz de Lisboa se foi consolidando, levando-me a convidar o contrabaixista Bernardo Moreira**, a fazer arranjos para canções portuguesas da minha vida.
Era tempo de voltar a Portugal, trazendo na bagagem três anos de viagem pelos clássicos americanos do princípio do século XX na companhia dos músicos*** com quem aprendi na prática a navegar nas imprevisíveis e profundas águas do jazz.
Fui buscar canções ao baú da minha memória afectiva e estreávamos a experiência em 2002, com uma formação que incluía o piano do Rodrigo Gonçalves e a bateria do André Sousa Machado, além do Bernardo Moreira no contrabaixo, o André Fernandes na guitarra e o João Moreira no trompete.
Em maio de 2004, convidada a participar numa festa de homenagem ao António Variações no Teatro Maria Matos****, senti a obrigação de continuar a insistir gravar aquilo que considero um documento histórico do Portugal do final do século XX, dos seus poetas, dos seus músicos e dos seus cantores.
No final de mais um fim de semana em que tocámos este repertório no Hot clube, em maio de 2005, fui apresentada ao Helder Nelson, o produtor independente que tornou realidade esta gravação ao vivo no dia 20 de dezembro desse mesmo ano.

Lena d’Água
Lisboa, 29 de janeiro de 2007


* Bernardo Moreira no contrabaixo, André Fernandes na guitarra e André Sousa Machado na bateria
** chamado a substituir o Nelson Cascais num concerto nas Caldas da Rainha, concerto esse que alguns factos acontecidos nessa noite tornaram inesquecível
*** andré sousa machado, rodrigo gonçalves, nelson cascais, vasco agostinho, bruno santos, joão moreira, bernardo moreira, nuno ferreira, andré fernandes, alexandre frazão, bruno pedroso, afonso pais, rui caetano, filipe melo, marco franco
**** com o trio contrabaixo guitarra e bateria (Moreira, Fernandes e Marco Franco)

16 comments:

Anonymous said...

Lenita!

Estamos à espera da data certa do concerto....
Já sabes alguma novidade?
Bjs
Paulo França
(fã dos Açores)

lena said...

logo que haja data vocês serão os primeiros a saber
;)

estamos a acabar a edição do dvd, a capa e o booklet

bom fim de semana

techno25000 said...

Queremos no mínimo um Coliseu a abarrotar de gente para te receber Lena :)

Um beijo grande para ti princesa
Joao Pedro

ines said...

um grande beijo, parabens

Mary wants a little Lamb said...

Queremos tudo o que vier de ti.

Draco said...

Olá Lena!
Gostei de te ver no 'Essências'. Gargalhadas saborosas!...

;-)**

AmigaTeatro said...

Na SIC, no Contacto, no "olha quem canta", lá puseram o "dou-te um doce" e hoje foi o "Sempre que o amor me quiser" (a foto que lá aparece é a que está no Aguaceiro, 1987 )

Foi giro ;PP

Beijos sô dona Helena Ocupada ;PP ***

gandratruck said...

...gosto de tu, porque és Humana...beijo

edineysantana said...

oi desejo trocar um cd seu por um livro de poemas meus,se quiser é spo me mandar seu endereço, quando você receber o livro é só mandar o cd
ediney-santana@bol.com.br
http://edineysantana.zip.net

luí said...

wapa !!

Luis said...

Oi Lena, ontem vi-a no Canal SIC Mulher no programa Essências de Ana Marques cujo tema era dedicado aos anos 80. A Lena estava lindissima como sempre. Gostei muito de a ver e recordar com nostalgia esses anos 80 que vivi intensamente. A Lena como uma das maiores estrelas musicais nacionais que é, foi sem dúvida uma grande referência da musica portuguesa dos anos 80. Parabéns Lena D´Agua, voçê além de ser uma grande mulher é uma grande cantora. Nunca pare de cantar gosto muito de a ouvir, sou muito muito muito muito muito fã da Lena D´Agua. Um grande beijinho e obrigado pela oportunidade de eu poder publicar esta mensagem. Nos anos 80 isto não era possível nem ninguem sonhava LOL... Fiquei também maravilhado com este magnífico Blog. Também vou querer um Blog assim para publicar as minhas musicas e dar-me a conhecer um pouco. Vamos ver o que vai dar... A internet é de facto um mundo fantástico, uma nova dimensão... Obrigado Deuses Cibernéticos!!! jinhossssss...
Luis Miguel B. Silva

aldina said...

Estou confiantemente á espera :-)

Beijinho de até sempre

luí said...

ola lena , por fin te he podido oir

sabes? gosto de tua voz , não tinha ouvido antes, pero nunca es tarde

besitos

Paulo said...

Olá Lena!
Ainda bem que está a correr tudo bem. Eu já estava assustado. Queremos data para estarmos "PERTO DE TI" no teu concerto!!!!!!!
Bjs e tens a nossa força que acredita muito em ti!
Paulo França, Fã dos Açores

Paulo said...

Olá Lena!
Ainda bem que está a correr tudo bem. Eu já estava assustado. Queremos data para estarmos "PERTO DE TI" no teu concerto!!!!!!!
Bjs e tens a nossa força que acredita muito em ti!
Paulo França, Fã dos Açores

Meu Destino said...

Querida amiga,

em primeiro lugar, parabéns! Afinal hoje é o "Dia Internacional da Mulher", aquele dia em que as pessoas mais distraídas e desatentas são obrigadas a reconhecer quanto tempo a humanidade perdeu por ter excluído as mulheres dos foros de decisão social e política.
É claro que muitas mulheres lutaram para que este avanço ocorresse e há célebres exemplos históricos. Mas, neste dia especial, quero referir-me especialmente a ti, em quem reconheço esta fibra capaz de desestruturar padrões anacrónicos com o propósito de estabelecer parâmetros sociais mais justos, e igualdade de condições como trabalhadora e cidadã.
Se todas as mulheres fossem iguais a ti, tenho a certeza de que estas mudanças (que ainda não se completaram) teriam ocorrido de uma maneira muito mais rápida e, hoje, viveríamos num mundo mais justo e equilibrado, onde esta data já não faria sentido, visto que as mulheres devem ser homenageadas todos os dias, com manifestações de respeito, reconhecimento, agradecimento e - por que não? - carinho.
Por vislumbrar em ti o exemplo de uma grande mulher, perceber em ti a "garra" necessária para que possamos, juntos, transformar a nossa sociedade em algo mais justo e belo, é que te escrevo esta carta e te desejo o melhor, não apenas hoje, mas sempre!

Com afectuoso respeito
Helena